• 5.0 classificação
    28/2/2014
    1 check-in aqui

    Um espaço que me marcou desde pequeno. Usava os seus recantos, caminhos e percursos, para ir para a escola e para a brincadeira na altura do meu preparatório.
    Relembro, que no passado, foi o primeiro local da Feira Popular. :)

    "Se não fosse um senhor Arménio chamado Calouste Gulbenkian ter vindo parar a Portugal em Abril de 1942, a fazer escala para Nova York, se não fosse ter adoecido e decidido ficar, a cultura Portuguesa estaria muito menos rica e a cultura dos jardins em Lisboa também. O jardim Gulbenkian convida sabiamente a entrar, qualquer transeunte que por ali ande, nos seus caminhos conduzidos por um ímpeto natural, espontâneo e gracioso.

    Da autoria dos arquitectos paisagistas António Viana Barreto e Gonçalo Ribeiro Telles, foi nos anos 60 que se começou a transformação do antigo Parque de Santa Gertrudes, feito em 1883, e a construção da sede e museu Calouste Gulbenkian. Antes foi também a Quinta do Provedor dos Armazéns, que tinha hortas e vinhas e mais tarde esteve ali entre 1943/56 a Feira Popular.

    Em 1957 a Fundação Gulbenkian dando-se inicio à construção do novo jardim e edifício, onde a busca pela simplicidade se encontra com a natureza por meios delicados.

    Jardim da GulbenkianO caminhante pode desfrutar de um lago com patos, relvado, esculturas em céu aberto, um anfiteatro ao ar livre onde em Agosto acontece um famoso festival de jazz, visitar a biblioteca de arte e os Museus, a fundação tem um amplo programa cultural que se aconselha verificar.

    Muitos são os visitantes que abraçam este jardim, que se passeiam por entre os ulmeiros, ciprestes, pilriteiros, caniços, choupos, zambujeiros, pinheiros e outras árvores, ali postas em jeito de um bosque no meio da azafama da cidade."

  • 5.0 classificação
    15/10/2013

    A Gulbenkian é quase uma segunda casa, quer porque, em termos profissionais, compareço, quase semalmente, a conferências que lá se realizam, quer, em termos pessoais, porque os jardins são um elixir, quando meditamos no meio do anfiteatro natural que nos é facultado, ou porque o restaurante do Centro de Arte Moderna é uma das melhores soluções da zona em termos e qualidade-preço.
    Por outro lado, a livraria (e editora) tem, regularmente, stock off, que nos permitem comprar a menos de metade do preço. E o Serviço Educativo apresenta uma oferta variada e adaptada a várias idades, para a ocupação de tempos livres a valores bem inferiores à media da cidade e com um nível de qualidade muito elevado

  • 5.0 classificação
    15/10/2013

    O que posso eu dizer da Fundação?
    Nada e tudo ao mesmo tempo, faz parte da minha infância, viu-me crescer, correndo pelos jardins até à idade de espreitar as exposições todos os meses. É o meu passado, presente e futuro, assim espero.
    Aqui respira-se conhecimento pelos corredores e basta apenas uma refeição ou um esticar de pernas no jardim para o sentir.
    O conhecimento que adquiri e foram tantas as exposições, que realço uma, que me marcou particularmente.Fui com uma amiga, que partilha comigo a paixão por Fernando Pessoa, na exposição Plural como o Universo. Foi simplesmente genial!
    Parabéns e obrigada!

  • 5.0 classificação
    14/10/2013

    Um refúgio bem no centro da cidade, a sede da Fundação Calouste Gulbenkian é, há mais de 50 anos, uma referência cultural e de lazer na cidade de Lisboa.

    O complexo da sede da fundação é composto por um Museu, pelo Centro de Arte Moderna e ainda uma Biblioteca de Arte; as suas actividades culturais vão desde concertos da respectiva Orquestra e Coro, exposições individuais e colectivas, etc.. É ainda ponto de eleição para receber conferências nos mais diversos campos científicos. A fundação possui ainda uma editora, sob a qual são lançados os mais diversos textos técnicos e universitários vendidos numa loja situada no edifício principal da estrutura.

    Além das actividades culturais, a sede da Gulbenkian pode ainda ser aproveitada para lazer dos visitantes, dispondo de um espaçoso e cuidado jardim com um lago e caminhos de água; este espaço é normalmente visto com pessoas a estudar ou a comer em mesas de pedra dispostas pelo jardim ou a descansar na relva e sombras existentes. Existem ainda espaços de restauração (dois restaurantes e uma gelataria), todos com espaço interior e dois deles ainda com esplanada.

    A visitar e disfrutar!

Página 1 até 1